Pesquisar
Biblioteca
Iniciar sessão
Ver em ecrã completo
há 4 anos

MEMÓRIA DA GUERRA DO ULTRAMAR PORTUGUÊS - MOÇAMBIQUE - MEMÓRIAS FOTOGRÁFICAS

Antonio Gonçalves
QUE PAÍS É ESTE?

VERGONHA !
Há pouco tempo, numa sala de espera de um hospital, numa conversa casual com alguns pacientes veio à baila a guerra do ultramar e o que ouvi deixou-me perplexo e revoltado.

Existem três mil e tal camaradas nossos espalhados por cemitérios em: MOÇAMBIQUE, ANGOLA e GUINÉ. Fiquei a saber também, que o custo era de três a oito milhões de euros para transportar as suas ossadas para cá. Pois bem, quanto custou o Aeroporto de Beja? Trinta e três milhões de euros. Sendo assim ainda restavam uns míseros vinte cinco milhões! Devemos ser o único país que tem um aeroporto para aterrarem as “moscas”, pois está às moscas! (Acho que nem moscas deve ter…) A história não fica por aqui. Contaram-me também, que nos locais, desenterravam as ossadas dos nossos camaradas e as vendiam como troféus, e como não bastasse, também para fazer magia negra.

Senhores governantes deste país. Peço em meu nome e de todos os meus camaradas e famílias daqueles que por lá estão enterrados, que tenham vergonha e um pouco mais de sensibilidade pelos restos mortais dos que tudo deram pela Pátria. Não os esqueçam. Façam alguma coisa. Pois ainda podem ir a tempo! Os vivos, esses já há muito tempo que foram desprezados, tanto os inteiros como os partidos, agora o que se passa com aqueles que ficaram esquecidos naqueles cemitérios, que deram a vida pela sua pátria (era o que nos era vendido na altura) e não tiveram a sorte de regressar para junto das suas famílias com a dignidade que mereciam, esta mesma dignidade os governantes deste país não lha quiseram dar.

Que Pátria é esta que não sabe honrar os seus combatentes? Tanto dinheiro é esbanjado neste país (basta ler os jornais e ouvir as notícias) por tudo quanto é lado, e para colmatar esta injustiça, não há?

Estamos todos a desaparecer. A nossa idade vai avançando. Aos poucos vamos desaparecendo pois a morte nos vai levando e depois já não resta nada. A geração muda e vem o esquecimento total, e então sim: Os nossos governantes já podem dormir descansados, pois o passado fica lá atrás!

Eu sei que nos últimos tempos fez-se alguma coisa (não os nossos governantes) e foram trasladadas as ossadas de alguns camaradas graças a algumas entidades deste país, tais como: Liga dos Combatentes, A.D.F.A. e TAP. Desculpem se me esqueço de mais alguma. Mas, não eram estas entidades que deviam ter o dever desta missão. É o Estado português que tem o dever moral e humano de o fazer. Assim sendo, é vergonhoso que assim não seja. Não fomos por nossa vontade, fomos obrigados, desempenhámos o nosso papel com lealdade, e tanto os vivos como os mortos e estropiados, fomos abandonados pela MÃE PÁTRIA! Fomos abandonados tanto antes, como depois do 25 de Abril.

Que linda história temos para contar aos nossos filhos e principalmente aos nossos netos! Será que ficarão orgulhosos?